Presença em Tatsumi Hijikata: Shintai-Nikutai

Autores/as

  • Bárbara de Souza Carbogim Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG

DOI:

https://doi.org/10.15332/s2248-4418.2016.0002.02

Palabras clave:

corpo, presença, butô, Tatsumi Hijikata.

Resumen

Neste trabalho transitaremos pelo conceito de presença que é o cerne da pesquisa denominada Por uma poética política: presença e ankoku butô. Tendo em vista alguns pilares que sustentam o entendimento de presença desenvolvido por Hans Ulrich Gumbrecht, o interligaremos mais precisamente à presença cênica do dançarino japonês Tatsumi Hijikata. Para tanto, adentraremos mais profundamente no trabalho deste artista, desvendando em sua proposta de pesquisa corporal a chave para a presença. Não por acaso, permearemos as qualidades corpóreas do shintai e nikutai que são possibilidades distintas desse corpo que dança.

Biografía del autor/a

Bárbara de Souza Carbogim, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG

Mestranda em Artes Cênicas pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas – PPGAC. Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP. Universidade Federal de Ouro Preto– UFOP. Grupo de Pesquisa: CNPq HÍBRIDA – Poéticas Híbridas da Cena Contemporânea. Linha de Pesquisa: Processos e Poéticas da Cena Contemporânea. Projeto de Pesquisa: Por uma poética política: presença e ankoku butô.

Citas

Centonze, Katja. (2003-2004). Aspects of Subjective, Ethnic and Universal Memory in Ankoku Butoh. Asiatica Venetiana, Venezia, 8(9).

Gumbrecht, H. U. (2010). Produção de presença: o que o sentido não consegue transmitir.

Soares, A. I. (Tradu.). Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio.

Lehmann, H. T. (2007). Teatro pós-dramático. São Paulo: Cosac Naify.

Peretta, E. (2015). O soldado Nu origens da Dança Butô. São Paulo: Perspectiva. Tdr – the drama review. (2000). To prison. Cambridge, 44(1), Spring.

Descargas

Publicado

28-06-2018

Cómo citar

de Souza Carbogim, B. (2018). Presença em Tatsumi Hijikata: Shintai-Nikutai. Cuerpo, Cultura Y Movimiento, 6(2), 133–142. https://doi.org/10.15332/s2248-4418.2016.0002.02

Número

Sección

Estudios e Investigaciones