Megaeventos esportivos no Brasil: De expressão da política esportiva brasileira para a da concepção neodesenvolvimentista de planejamento urbano

Autores/as

  • Lino Filho CNPq-Unicamp

DOI:

https://doi.org/10.15332/s2248-4418.2015.0001.03

Palabras clave:

megaeventos esportivos, copa FIFA 2014, movimentos sociais, controle social, planejamento urbano.

Resumen

Buscamos neste Ensaio tecer considerações acerca dos megaeventos esportivos em solo brasileiro como expressão maior de uma determinada lógica de desenvolvimento urbano e menos de uma política esportiva propriamente dita, atentando para seus impactos na América do Sul. Neste particular, focaremos o paradoxo presente entorno do discurso oficial centrado no reconhecimento do Esporte como Direito Social versus uma prática comprometida com a concepção neodesenvolvimentista de planejamento urbano, ratificadora de sua apreensão como produto passível de ser mercantilizado com alto apelo no campo dos negócios.

Biografía del autor/a

Lino Filho, CNPq-Unicamp

Doutor em Educação (Unicamp). Pesquisador-líder do Observatório de Políticas de Educação Física, Esporte e Lazer – Observatório do Esporte (CNPq-Unicamp). Professor Livre-Docente (aposentado) da Unicamp; Professor-Visitante da Universidade de Brasília (UnB –2012/13) Secretário Nacional – Secretária Nacional de Desenvolvimento do Esporte e Lazer do Ministério do Esporte (2003/06). Presidente do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte, CBCE (1999/03).

Citas

Anjos, A. B. Imagine depois da copa: protestos contra o mundial trazem a reflexão sobre qual será de fato o legado do evento para o Brasil. Revista Forum. Disponível em <http://revistaforum.com.br/digital/131/imagine-depois-da-copa>

Articulação nacional dos comitês populares da copa. Megaeventos e violações dos direitos humanos no Rio de Janeiro: dossiê popular da copa. Disponível em <http://comitepopulario.files.wordpress.com/2013/05/dossie_comitepopularcoparj_2013.pdf>.

Athayde, P. F. A. (2014). O ornitorrinco de chuteiras: determinantes econômicos da política de esporte do governo LULA e suas implicações sociais. 2014. Tese (Doutorado em Política Social) – Universidade de Brasília, Brasília, DF.

Barandão, J. C. (2014). A Copa FIFA 2014 no Brasil para além da política esportiva: estudo do dissenso entre os interesses da “cidade empresarial” e as dos citadinos, através da análise da ação dos movimentos sociais. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas.

Boito Júnior, A. As bases políticas do neodesenvolvimentismo. Disponível em <http://eesp.fgv.br/sites/eesp.fgv.br/files/file/Painel%203%20-%20Novo%20Desenv%20BR20%20Boito%2020Bases%20Pol%20Neodesenv%20-%20PAPER.pdf>.

Boron, A. A. Brasil: um novo ciclo de lutas populares?. Disponível em http://www.atilioboron.com.ar/2013/06/brasil-un-nuevo-ciclo-de-luchas.html.

Brasil. (2014). Controladoria Geral da União. Portal da Transparência. Disponível em http://www.portaltransparencia.gov.br/copa2014/empreendimentos/investimentos.seam?menu=2&assunto=tema.

Camargo, T. Prática esportiva representa 19% do PIB brasileiro, afirma professor da FGV durante reunião da comissão da cadeia produtiva do desporto da FIESP.

Agência Indusnet FIESP. Disponível em ttp://www.fiesp.com.br/noticias/praticaesportiva-representa-19-do-pib-brasileiro-afirma-professor-da-fgv-durante-reuniaoda-comissao-da-cadeia-produtiva-do-desporto-da-fiesp/.

Carvalho, C. S. & Rossbach, A. (2010). Estatuto da cidade: comentado. São Paulo: Ministério das Cidades: Aliança das Cidades. Disponível em: <http://www.ifrc.org/docs/idrl/947PT.pdf>.

Castellani, L. (2013). Educação Física, esporte e lazer: reflexões nada aleatórias.

Campinas: Autores Associados. (Coleção Polêmicas de Nosso Tempo, nº 105, 2013).

Castelan, L. P. (2010). As Conferências nacionais do esporte na configuração da política esportiva e de lazer no governo LULA (2003-2010). Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de

Campinas.

Correia, J. C. A. (2012). O setor privado sem fins lucrativos e as políticas de esporte e lazer (2008 – 2011). Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Iasi, M. & Vainer, C. Cidades rebeldes. Disponível em: http://www.youtube.com/wa

tch?v=7AUGExvwtsY&list=TLL7FZxVA_uf lKRBcg_Mj1c2rfVTHJbhV>.

Iasi, M. (2013). Pode ser a gota d’água: enfrentar a direita avançando a luta socialista. Disponível em: <http://blogdaboitempo.com.br/2013/06/26pode-ser-a-gotadagua-enfrentar-a-direita-avancando-a-luta-socialista/>.

Jabor, A. (2013). Sobre as manifestações sociais de junho de 2013. Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=aS7LmKld_

mE#at=287>.

Kfouri, J. Juca entrevista Carlos Vainer. Disponível em <http://www.youtube.com/watch?v=ZKDRaZXajIg>.

Kfouri, J. Vai ter copa. Disponível em <http://blogdojuca.uol.com.br/2014/01/vaiter-

copa/>.

Krieger, E. Desculpe Neymar. Disponível em <http://www.youtube.com/watch?v=

iwL3TxSeDmA>.

Leblon, S. (2014). Bola rolando: democracia x mercado na américa latina—. Boletim Eletrônico “Carta Maior”. Disponível em: <http://www.cartamaior.com.br/?/Editorial/Bola-rolando-Democracia-x-Mercadosna-AL/30349>.

Linhales, M. A. (1996). A trajetória política do esporte no Brasil: interesses envolvidos, setores excluídos. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Belo Horizonte, Belo Horizonte.

Maisonnave, F. Aprovação à realização da copa é a menor em 5 anos. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/02/1416810-aprovacao-a-realizacaoda-

copa-e- a-menor-em-5-anos.shtml>.

Mascarenhas, F. Blog do Fernando Mascarenhas: falando de esporte e política. Disponível em http://blogdomasca.blogspot.com.br/>.

Pluri consultoria. O PIB esportivo brasileiro. Disponível em

<http://www.pluriconsultoria.com.br/uploads/relatorios/pib%20esporte.pdf>.

Prado, M. C. R. M. (2014). Renda, de volta a 1964. Valor Econômico. Disponível em www.valor.com.br.

Proni, M. A. (2013). Copa é bom negócio para o Brasil? não. Folha de São Paulo, São Paulo. Caderno Opinião, seção Tendências & Debates Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2013/12/1382181-marcelo-weishaupt-proni-bompara-quem.shtml.

Protestos contra mundial planejam até apagão em jogo. (2014). Folha de São Paulo, São Paulo. Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/153087-

protestos-contra-mundial-planejam-ate- apagao-em-jogo.shtml.

Spitz, C. PIB do esporte cresce mais do que o do país. Disponível em http://oglobo.globo.com/economia/pib-do-esporte-cresce-mais-do-que-do-país-5028799.

TV UOL. Professor vale mais que Neymar, grita protesto no Maracanã. Disponível em http://tvuol.uol.com.br/assistir.htm?&tagIds=74107&time=all&orderBy=ma

is-recentes&edFilter=editorial&video=professor-vale-mais-que-neymar-gritaprotesto-no-maracana-04028C1B326CDCA94326.

Vainer, C. (2011). Cidade de exceção: reflexões a partir do Rio de Janeiro. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR. Disponível em http://www.opp.ufc.br/urbano04.pdf.

WIKI INDEX. Proprietários do Brasil, donos do Rio. Disponível em http://www.proprietariosdobrasil.org.br/wiki/index.php?title=Donos_Do_Rio

Descargas

Publicado

05-07-2017

Cómo citar

Filho, L. (2017). Megaeventos esportivos no Brasil: De expressão da política esportiva brasileira para a da concepção neodesenvolvimentista de planejamento urbano. Cuerpo, Cultura Y Movimiento, 5(1), 59–82. https://doi.org/10.15332/s2248-4418.2015.0001.03