Aspectos históricos contábeis e culturais do período carolíngio (do século IX ao XII) e suas derivações entre outras ciências

Autores/as

  • Rodrigo Antonio Chaves da Silva

DOI:

https://doi.org/10.15332/25005278.8622

Palabras clave:

contabilidade patrimonial, outros aspectos de outras ciências, período carolíngio

Resumen

O objetivo deste artigo é abordar a história ou os fatos cronológicos que dizem respeito à gestão patrimonial, portanto fenômenos contábeis, no período carolíngio, que é praticamente inexplorado nas pesquisas científicas e contábeis. O trabalho foi levantado na premissa de não se encontrarem investigações históricas contábeis entre os séculos IX e XII, que são base para a doutrina ocidental. A justificativa se mantém por uma lacuna existente nos trabalhos atuais, de incentivo nos estudos de investigação histórica contabilística na baixa Idade Média. A metodologia, além de ser histórica, é crítica, tecendo as para os âmbitos sociais, que incutiam relações econômicas, patrimoniais e como podemos pensá- nos tempos hodiernos. A problemática liga-se diretamente ao entendimento de como eram as relações e o que pode ser entendido no presente para preparamos melhor o futuro. Trata-se de um trabalho que apenas aponta alguns aspectos, incute a necessidade de aperfeiçoamento da parte de outros pesquisadores e cientistas que queiram produzir mais pontos de discussão e de tal período, necessário de inquirir, devido à parca escrita sobre o assunto.

Citas

Barsa. Enciclopedia. São Paulo: Britannica Editores LTDA, 1981, Vol. 5.

Bobbio, Norberto. O positivismo Jurídico (lições de filosofia do direito). São Paulo: Ícone, 2006.

Bunge, Mário. Epistemologia: Curso de atualização. 2º ed. São Paulo: T.A. Queiroz - Editora da Universidade de São Paulo, 1987.

Cândido, Antonio. Os parceiros do Rio Bonito. 6ª ed. São Paulo: Duas Cidades, 1967.

Cerboni, Giuseppe. La Ragioneria Scientifica. Roma: Ermanno Loescher, 1886, V. I. e II.

Creswell, J. W. Projeto de pesquisa: método qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2007.

Duby, Georges. Economia Rural e Vida no Campo no Ocidente Medieval. Lisboa: Edições 70, 1962.

Escobar, Carlos Henrique de. As ciências e a Filosofia. Rio de Janeiro: Imago, 1975.

Franco, Hilário. Fundamento Científico da Contabilidade. São Paulo: Ed. Revisora Gramatical, 1950.

Franco, Hilário é Marra, Ernesto. Auditoria Contábil. São Paulo: Atlas, 1985.

Freyre, Gilberto. Sobrados e Mucambos. 15ª ed. São Paulo: Global, 2004.

Gil, António Carlos. Estudo de Caso. São Paulo: Atlas, 2009.

Globo. Italiano. São Paulo: Ed. Globo, 1987. V. I.

Haguete, Teresa Maria Frota. Metodologias qualitativas na sociologia. 3ª ed. São Paulo, Vozes, 1992.

Hegel, Georg Wilhelm Friedrich. Introdução à história da filosofia. São Paulo: Rideel, 2005.

Hoog, Wilson Zappa. Filosofia Aplicada à contabilidade. Curitiba: Juruá, 2013.

Kuhn, Thomas S. A estrutura das Revoluções científicas. 6ª. São Paulo: Perspectiva, 2001.

Leite, Francisco Tarciso. Metodologia Científica. Aparecida: Idéias & Letras, 2008.

Martins, Wilson Thomé Sardinha; SILVA, Antonio Carlos Ribeiro da. História do Pensamento Contábil – com Enfase na história da contabilidade brasileira. Curitiba: Juruá, 2011.

Masi, Vincenzo. La Ragioneria Nell`età Medievale. Bologna: Tamari Editori, 1975.

Masi, Vincenzo. La Scienza del Patrimônio. Milano: Nicola Milano Editore, 1971.

Masi, Vincenzo. Filosofia della Ragioneria. Bolonha: Dott. Cesare Zuffi – Editore, 1955.

Masi, Vincenzo. La Ragioneria Nella Preistoria e Nell`antichità. Bologna: Tamari Editori, 1964.

Moitinho, Álvaro Porto. Introdução à Administração. 1ª ed. São Paulo: Ed. Atlas, 1965.

Masi, Vincenzo. Administração. 2ª ed. São Paulo: atlas, 1969.

Monteiro, Martim Noel. Economia e Contabilidade das unidades de Consumo. Lisboa: Portugália Editora, 1968. Coleção “Economia e Finanças”.

Pereda, Jorge Tua. Entrevista. Revista dos TOC, 1º trimestre de 2008.

Pessoa, Fernando. Poesia – Alberto Caeiro. 2ª ed. Lisboa: Assírio & Alvim, 2001.

Pirla, José Maria Fernandez. Teoria Economica de La Contabilidad. 4ª Ed. Madri: P. Lopes, 1965.

Polanyi, Karl. A grande transformação – as origens da nossa época. 2ª ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

Queiroz, José Wilson Nogueira de. Arrendamento Mercantil (leasing). 2ª Ed. Rio de Janeiro: Forense, 1983.

Reale, Miguel. Filosofia do Direito. 20ª ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

Reale, Miguel . Introdução à Filosofia. 4ª ed. São Paulo: Saraiva, 2007.

Rodrigues, Alberto Almada. Fundamentos históricos e legais da resolução do CFC nº 560/83. Revista Brasileira de Contabilidade, CFC, Rio de Janeiro, Ano XIX, nº 69, abr./jun. 1989

Sá, Antonio Lopes de. O verdadeiro Sentido do Conhecimento Histórico em contabilidade. Revista Brasileira de Contabilidade, Ano XXVI, nº 107, Set/Out. 1997a.

Sá, Antonio Lopes de. Historia Geral e das Doutrinas da Contabilidade. São Paulo: Ed. Atlas. 1997b.

Sá, Antonio Lopes de. História da Contabilidade. Belo Horizonte: Ed. Presidente. 1961. 3 V. Enciclopédia moderna de Contabilidade.

Sá, Antonio Lopes de. Teoria da Contabilidade. 3ª Ed. São Paulo: Atlas, 2002.

Sá, Antonio Lopes de. Filosofia da Contabilidade. Rio de Janeiro: Ed. Aurora, 1953.

Sá, Antonio Lopes de. Digressões sobre Fluxos Contábeis. Revista Brasileira de Contabilidade. Ano XXIV, nº 96, Nov./ Dez. de 1995.

Sá, Antonio Lopes de. Auditoria contábil. São Paulo: atlas, 1989.

Santos, Flávio Mateus dos. A república do Silêncio. 3ª ed. Caratinga: Edição do autor, 2013.

Silva, Fernando Vieira Gonçalves da. Curiosidades, velharias e miudezas contabilísticas. Lisboa: Editorial Império, 1970.

Silva, Rodrigo Antonio Chaves da. Evolução doutrinária da contabilidade – Epistemologia do princípio patrimonial. Curitiba: Editora Juruá, 2009.

Silva, Rodrigo Antonio Chaves da. História da Contabilidade e Finanças. Curitiba: Juruá, 2014.

Silva, Rodrigo Antonio Chaves da. Introdução a moderna Contabilidade Geral. Curitiba: Juruá, 2012.

Thompson, E. P. Costumes em Comum. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

Triviños, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Ed. Atlas, 2008.

Vergara, Sylvia Constant. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. 3ª ed. São Paulo: Ed. Atlas, 2000.

Vieira, Padre Antonio. História do Futuro. São Paulo: José Pontes, s/d.

Zappa, Gino. Il Rédito di Impresa. 2ª edição.Milão: Dott. A. Giuffrè - Editore, 1950.

Zappa, Gino. Le produzioni: Nell`economia delle imprese. Milano: Dott. A. Giuffrè – Editore, 1957.

Publicado

2023-06-14

Cómo citar

Chaves da Silva, R. A. . (2023). Aspectos históricos contábeis e culturais do período carolíngio (do século IX ao XII) e suas derivações entre outras ciências . Revista Activos, 20(2). https://doi.org/10.15332/25005278.8622

Número

Sección

Artículos

Artículos más leídos del mismo autor/a